segunda-feira, 2 de março de 2009

Escabiose





1. Introdução
A escabiose ou sarna é uma dermatozoose produzida por um ácaro, o Sarcoptes scabiei, var. hominis. 

2. Características do parasita e o seu ciclo biológico no homem

A escabiose é transmitida por contato pessoal, sem preferência por idade, sexo ou raça. É ocasional a transmissão por roupas ou objetos de uso pessoal. O parasito completa todo o ciclo biológico no homem. Fora do hospedeiro, ele morre em menos de uma semana. A fêmea adulta, que tem 0,3-0,4 mm de comprimento, produz secreções que possibilitam sua penetração na camada córnea, enquanto o macho, que tem a metade do tamanho da fêmea, não invade a pele e morre após a cópula.Assim sendo, a fêmea fecundada escava um túnel onde depositará seus ovos (2-3 ovos/dia). Isto acontece principalmente à noite. A eclosão dos ovos ocorre em três a quatro dias. As larvas deixam o túnel e entram nos folículos pilosos, levando em média 10 a 14 dias até atingirem o estágio adulto. O período do ciclo do ovo até o ácaro adulto se faz, portanto, em torno de duas semanas. Após a fecundação, as fêmeas escavam novos sulcos, completando-se o ciclo vital.

3. Quadro clínico
O quadro clínico se baseia na tríade prurido, localização das lesões e epidemiologia positiva. O prurido é sempre intenso, particularmente à noite ou ao deitar. Manifesta-se 10 a 14 dias após a contaminação e se deve a sensibilização do hospedeiro ao ácaro.
Objetivamente, há três elementos se a considerar na semiótica da escabiose: sulco, distribuição e lesões secundárias.
Sulco 
O sulco pode ser reconhecido, particularmente nos casos de escabiose sem complicações secundárias. Trata-se de uma pequena saliência linear, não maior do que 1 cm, apresentando, em uma das extremidades, uma vésico-pápula perlácea, do tamanho de cabeça de um alfinete, onde se encontra a fêmea do ácaro.
Distribuição e características das lesões
A distribuição é característica, seja na criança após dois anos, adolescentes e adultos: espaços interdigitais das mãos e pés, pregas axilares anteriores e posteriores, cintura, nádegas, região submamária e genitais. Em crianças menores de dois anos ocorrem lesões também nas palmas e plantas dos pés, couro cabeludo e pescoço.
Além da localização, o aspecto morfológico das lesões assume características próprias. Nas regiões palmo-plantares, as lesões são habitualmente vésico-bolhosas e tendem com freqüência à infecção secundária com pustulização. As lesões localizadas nas demais regiões, principalmente no adulto ou na criança maior, tendem a eczematização e a impetigização secundárias.
Assim sendo, o diagnóstico de escabiose é sugerido principalmente pelo prurido noturno e torna-se quase certo quando vários familiares ou pessoas da mesma habitação ou convívio apresentam esse sintoma. Pode-se recorrer à pesquisa direta do ácaro na lesão. Os locais onde são encontrados os parasitas, em ordem decrescente de freqüência, são mãos e punhos, região de cotovelos, pés e tornozelos, pênis e escroto, regiões glúteas e axilas. O exame negativo, no entanto, não invalida o diagnóstico.
Existem algumas situações onde a escabiose poderá não ser diagnosticada. Uma dessas situações ocorre em adultos ou crianças que tomam vários banhos diários. É a "sarna de gente limpa" em que as lesões são mínimas e passam despercebidas. Nas crianças, particularmente em lactentes, é muito comum a presença de lesões urticadas ou eczematosas. O uso de corticosteróides tópicos, sistêmicos e anti-histamínicos, podem alastrar o quadro, com localizações atípicas e com aspecto eritêmato-eczematoso. Portanto, em algumas pessoas, a despeito do quadro atípico e da pesquisa laboratorial negativa, pode ser indicada uma prova terapêutica.

4. Tratamento
4.1. Escabicidas tópicos
Hexaclorogamabenzeno (ou GBHC)
É a primeira escolha para o tratamento, excluindo-se crianças menores de um ano, gestantes ou mulheres amamentando e doentes com numerosas escoriações. Usado como loção ou creme a 1% (Lindano), deve-se passar o medicamento em todo o corpo, do pescoço aos pés, sem banho prévio, deixando por 10-12 horas. Em seguida deve-se tomar banho e repetir a aplicação após 24 horas.
Evitar contato com as mucosas e a ingestão do medicamento. Reações tóxicas, particularmente neurológicas, têm sido descritas em lactentes ou por ingestão acidental.
Após as duas aplicações, se houver prurido, usar cremes de corticoesteróides ou anti-histamínicos por via oral.
Decorrida uma semana, se ocorrer aumento do prurido, repetir uma aplicação.
Em crianças de 1-6 anos, pode-se usar por 6 horas, repetindo-se a aplicação após dois e sete dias.
É importante evitar o supertratamento. O uso repetido do medicamento pode causar dermatite de contato por irritação primária.
Permetrina
É um piretróide sintético, atóxico, eficaz. Emprega-se em creme a 5%. Não é irritante como o piretróide natural (deltametrina-Deltacid). O creme de permetrim a 5% (Elimite) está disponível para crianças com mais de dois meses de idade. Tem indicação eletiva no tratamento de gestantes, mulheres em aleitamento e nos casos onde há presença de lesões escoriadas em grande quantidade.
A técnica é similar a preconizada pelo GBHC. Embora sejam agentes alternativos eficientes, são menos utilizados, principalmente na clientela infantil.
Monossulfiram
É um monossulfeto de tetraetiltiuram empregado diluído em água (duas vezes para adultos e três para crianças). Trata-se de uma solução alcoólica a 25% (Tetmosol).
Uma só aplicação em geral é suficiente e apresenta a vantagem de poder ser usado em casos com infecção secundária.
Como os demais medicamentos, sua aplicação deverá ser repetida após uma semana.
Benzoato de benzila
Usado em loção a 25% (Miticoçan), em todo o corpo durante três noites consecutivas, repetir por mais três dias após um intervalo de 5-7 dias. É irritante, principalmente se houver escoriações. Seu uso é desaconselhado em crianças menores.
Enxofre precipitado
Empregado a 5-10% em pasta d'água ou em vaselina é aplicado por três dias, com uma pausa de cinco dias e repetido por mais três dias. Eficiente e pouco irritante, é o mais indicado para lactentes, gestantes e quando a pele se encontra irritada.

4.2. Tratamento sistêmico
Tiabendazol
Primeira droga que demonstrou ação sistêmica no tratamento da escabiose. Administrada na dose de 50 mg/kg/dia, máximo de 3g/dia, por 10 dias. Os estudos em crianças são escassos.
Ivermectina (revectima)
Há referências sobre cura com dose única de 200 mg/kg para adultos e crianças acima de cinco anos. Em imunodeprimidos é preciso repetir o tratamento após duas semanas.

4.3. Prurido pós-tratamento
Após o tratamento, particularmente nos casos em que a afecção perdurou por um longo período sem diagnóstico, o prurido pode permanecer por semanas, por uma sensibilidade a antígenos parasitários. Nesses casos, o uso de corticoesteróides tópicos e anti-histamínicos estão indicados. É importante evitar o tratamento repetido, responsável por dermatites irritativas. Está contra-indicado o uso de escabicidas na forma de sabonete, responsáveis por sensibilização e dermatites irritativas eczematosas.

5. Cuidados gerais
Durante o período de tratamento é conveniente, ao contrário de muitas crenças, não lavar as roupas de cama, como também o pijama. Após o tratamento as roupas de cama e de uso pessoal deverão ser lavadas, passadas ao ferro quente ou expostas ao sol por várias horas. Na presença de impetiginização o uso de banhos com permanganato de potássio 1/40.000 (uma medida para 4 litros de água), seguido de aplicação de antibióticos tópicos se faz necessário.

Conclusão 
Como regra geral, as pessoas da mesma casa são atingidas pela parasitose. É preciso sempre interrogar e, quando possível, examinar os familiares. Na escabiose da infância, como no adulto, é muito importante o tratamento dos comunicantes, seja nas creches, ou de todos os familiares - mesmo os que não apresentam ainda os sintomas, devido ao período de incubação - para evitar reinfestações e o estabelecimento do círculo vicioso.

Bibliografia
1) SAMPAIO, S. A P.; CASTRO, R. M. & RIVITTI, E. A Dermatologia. 1ª edição, São Paulo, Artes Médicas, 1998.

10 comentários:

Cris disse...

Normalmente, qual è o tempo de duraçao do tratamento? Meu dermatologista me indicou passar uma pomada com permetrina 5% por 04 noites consecutivas. Assim fiz, so que as bolinhas continuam a aparecer e o prurido è insuportavel. Hoje voltei la e ele me disse que estou curada, (mesmo tendo as bolinhas e o prurido)mas nao me sinto tao segura.

Viviane disse...

Existe uma situação chamada prurido"de memória" que pode ocorrer até 20-30 dias após o tratamento, sem lesões de atividade da escabiose.

carla disse...

Olá, eu tive escaboise, mas quando isso ocorreu eu estava num lugar que não tinha nenhum recurso ou seja, eu estava num distrito e la não havia nenhum dermatologista, e essa coceira durou uma semana (era uma coceira imensa),até que começou a diminuir, e os vergões começaram a deçinchar, mas eu tenho a pele morena e o pior estava por vir. Manchou toda a minha pele, quando eu cheguei em casa comecei a usar um ácido, mas em vez de melhorar piorou, pq tinha retinóico, hidroquinona e fluocinolona, todos em alta concentração,indicado por uma amiga,vi que não estava normal e finalmente fui a dermatologista, e ela me disse que eu n poderia estar usando esses ácidos pq estava atrfiando a minha pele e me receitou azelam e para hidratar epidrat ultra. T pergunto será que essas manchas vão sair, pq estava muitm muito feia. Obgda.Meu nome é Carla.

Alencar disse...

SABONETE SARNICIDA MATACURA
Formula Base ( Benzoato de Benzila )

Encontrado facilmente em supermercados, lojas agropecuarias e Pet Shops.

O tratamento pode ser tópico ou sistêmico e inclui o uso de sunstâncias como a Permetrina, Lindano, Benzoato de Benzila, Monossulfiram, Enxofre precipitado, Tiabendazol e Ivermectina.

Cada caso deve ser avaliado separadamente pois todas estas medicações apresentam efeitos adversos e restrições, devendo ser indicadas somente por um médico.

roseli disse...

Por favor preciso de uma irientacão,
minha filha de 2 anos pegou escabiose, comecamos o tratamento com benzoato de benzila, uma colher de sopa do líquido com 3 de água, a minha filha não suportava a queimacão, então o médico suspendeu e orientou que usássemos permetrina 5%,e um sabonete de enxofre, aparentemente melhorou, sem contar que lavo e fervo todas a roupas da família, e estão aparecendo mais bolinhas na barriga e a minha outra filha também, não sei mais o que fazer. Me ajudem meu nome é Roseli.
obrigada.

roseli disse...

Por favor preciso de uma irientacão,
minha filha de 2 anos pegou escabiose, comecamos o tratamento com benzoato de benzila, uma colher de sopa do líquido com 3 de água, a minha filha não suportava a queimacão, então o médico suspendeu e orientou que usássemos permetrina 5%,e um sabonete de enxofre, aparentemente melhorou, sem contar que lavo e fervo todas a roupas da família, e estão aparecendo mais bolinhas na barriga e a minha outra filha também, não sei mais o que fazer. Me ajudem meu nome é Roseli.
obrigada.

*** disse...

oi gostria de saber como faço fui ao medico e ele disse que estou com escabriose me passou um sabone e uma lição chamada benzoderm de benzoato de benzila gostaria de saber se esse medicamento vai fazer efeito ele também me passou um anti-alergico chamado loritil(loratadina) será que esses medicamentos vai fazer efeito ... sem mais

Maria Alice disse...

Vou fazer uma cirurgia de vesícula e estou com escabiose. Isso pode me trazer algum problema?

sandro disse...

acho que estou com esse inferno olha a foto
http://img31.imageshack.us/img31/5262/img1451t.jpg

PEDRO disse...

BOA NOITE!!!FIZ O TRATAMENTO CONTRA A ESCABIOSE POR DUAS SEMANAS , POREM ESTOU COM MUITO MEDO NA REGIÃO DO ANUS A MINHA PELE ESTA ESBRANQUIÇADA COM ESCAMAÇÃO EM PONTOS ISOLADOS E COM MUITA COCEIRA, SE TIVER UM EMAIL EU POSSO ENVIAR UMA FOTO, ME AJUDEM POR FAVOR ESTOU COM MUITO MEDO!!!!!!